Moraes prorroga inquérito das milícias digitais por 90 dias

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, idealizador dos inquéritos ilegais, inconstitucionais e sigilosos, quer prorrogar o inquérito das milícias digitais.

Esse inquérito é uma fusão do inquérito das fakes News – conhecido como inquérito do fim do mundo – e, dos atos antidemocráticos.

De acordo com o despacho do ministro, assinado em 05 de janeiro, “Considerando a necessidade de prosseguimento das investigações e a existência de diligências em andamento, nos termos previstos no art. 10 do Código de Processo Penal, prorrogo por mais 90 (noventa) dias, a partir do encerramento do prazo final anterior (6 de janeiro de 2022), o presente inquérito”.

Moraes acredita que as investigações “apontaram fortes indícios da existência de uma organização criminosa voltada a promover diversas condutas para desestabilizar e, por que não, destruir os Poderes Legislativo e Judiciário a partir de uma insana lógica de prevalência absoluta de um único poder nas decisões do Estado”.

O novo inquérito, nomeado de ‘inquérito das milícias digitais antidemocráticas’, foi aberto em julho e a investigação mira os núcleos de produção, publicação, financiamento e políticos. A investigação teve início em 2019 e, até o presente momento, nada de relevante foi descoberto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.