Os governos anteriores não pagaram, diz Bolsonaro sobre a PEC dos Precatórios

O presidente Jair Bolsonaro falou na manhã de hoje (11/11), sobre a PEC aprovada pela Câmara dos Deputados, que permite o parcelamento de precatórios e altera o cálculo do teto de gastos, liberando R$ 91,5 bilhões para o Orçamento do próximo ano.

Precatórios viraram uma indústria. Então, o cara tem um precatório, por exemplo, de R$ 10 milhões. O que ele faz muitas vezes? Vende por R$ 1 milhão. Agora, esse cara que comprou, com um montão de gente na mesma situação, é que faz o lobby para a gente pagar de uma vez só. Agora, é fácil ganhar da União, né? É fácil.

Bolsonaro

Para o chefe do executivo, precatórios se tornaram uma indústria. Essa fala ocorreu ao canal Foco do Brasil.

Bolsonaro também deixou claro que governos anteriores não pagou e que agora o supremo quer fazer ele pagar tudo de uma vez.

FHC não pagou, Lula não pagou, Dilma não pagou. Daí, o Supremo decidiu que eu tinha que pagar tudo de uma vez só.

Bolsonaro

A PEC define o valor de despesas anuais com precatórios, corrige seus valores exclusivamente pela taxa Selic e muda a forma de calcular o teto de gastos.

Vale ressaltar que, na prática, a PEC abre espaço fiscal no Orçamento da União para o pagamento do novo benefício assistencial criado pelo governo, o Auxílio Brasil, que terá o valor mensal de R$ 400.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.