Pai perde temporariamente o direito de ver o filho por não se vacinar

Canadá está sendo exemplo de fascismo e autoritarismo. As medidas tomadas pelo país dariam orgulho a Hitler. Senão bastasse criar impostos para não vacinados e impedi-los de sair de casa e, barrar a compra de cannabis sativa e bebidas alcoólicas, a Justiça impediu um pai de ver seu filho de 12 anos por não estar imunizado.

Segundo o correspondente internacional Ivan Kleber, um pai canadense que não foi vacinado contra a Covid perdeu temporariamente o direito de ver seu filho de 12 anos.

Um juiz decidiu que suas visitas não seriam do “melhor interesse” da criança. A decisão suspende os direitos de visitação do pai até fevereiro. O juiz determinou que a visitação paterna neste momento não seria “o melhor” para a criança.

A decisão, ocorrida no final de dezembro, foi tomada depois que o pai fez um pedido para que seu tempo de visitação fosse estendido durante o período de festas de fim de ano. A mãe da criança, que se opunha ao pedido inicial do pai pela extensão do tempo de visitação, disse à Justiça que descobrira recentemente que o homem não havia sido vacinado — ela mostrou postagens dele nas redes sociais em que fazia oposição à vacinação, esclareceu a Revista Oeste.

Kleber explica que, caso o pai opte por ser vacinado, a suspensão será retirada.

O julgamento é o primeiro caso de perda de direitos do tipo por motivos de imunização de que se tem notícia no Canadá, segundo o jornal canadense Le Devoir.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.