Se eleito, Lula vai sugerir acabar com escolas militares

Caso ganhe a eleição presidencial, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pré-candidato do PT à Presidência da República, vai sugerir em seu programa de governo acabar com o projeto de escolas cívico-militares.

A militarização das escolas é uma bandeira do governo Bolsonaro e alcançou 216 colégios públicos em 25 estados, desde 2019.

“O projeto das escolas cívico-militares fracassou”, disse a deputada estadual de Pernambuco Teresa Leitão, responsável pela área de educação no PT, ao colunista Guilher Amado, do portal Metrópoles. “O PT é contra esse projeto e com certeza não vai bancá-lo. Quem quer botar um filho ou filha em escola militar pode fazer isso com os colégios militares. O espaço físico das escolas públicas não pode ser ocupado por autoridades militares”, disse.

Ainda de acordo com a petista, o programa o petista vem sendo pensado pelo Núcleo de Acompanhamento de Políticas Pública (Napp), formado no âmbito da Fundação Perseu Abramo, instituição formuladora de políticas do PT.

A inspiração é, segundo integrantes do grupo, no pensamento de Paulo Freire, filósofo da educação.

Ainda de acordo com Leitão, auxiliares de Lula ainda avaliam a necessidade de revogação do Novo Ensino Médio, que prevê mudanças curriculares e, na avaliação de formuladores, aponta para uma visão mais restrita da formação.

O novo ensino médio passo a ser implementado oficialmente este ano nas escolas brasileiras públicas e privadas. A implementação começou pelo 1º ano do ensino médio, e a primeira mudança nas redes foi a ampliação da carga horária para pelo menos cinco horas diárias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.