Governo dos EUA desobriga hospitais de registrar mortes diárias por covid

Joe Biden, presidente dos Estados Unidos, alterou, no início de janeiro, as normas para os registros hospitalares requeridos pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS, em inglês), o Ministério da Saúde de lá, durante a pandemia da Covid.

Uma das mudanças realizada pela administração Joe Biden é a desobrigação do registro diário de mortes por covid identificadas nos hospitais, mas também chama atenção as novas obrigações sobre a inclusão de dados.

Agora o governo federal americano quer atualizações diárias sobre o quantitativo de crianças com covid, a quantidade e ocupação de leitos pediátricos e leitos de UTI pediátrica, além do dado – por idade – sobre hospitalização de pacientes com covid confirmada em laboratório. O envio dos novos dados pediátricos ao HHS serão obrigatórios para os hospitais norte-americanos a partir do próximo dia 2 de fevereiro. As informações são do Diário do Poder.

De acordo com o Diário do Poder, desde o início da pandemia, hospitais dos EUA são obrigados a manter diversos dados atualizados no sistema do HHS.

As normas exigem, por exemplo, que hospitais atualizem diariamente o estoque de remédios e insumos médicos, como máscaras e luvas. Cada item tem um campo específico no formulário que hospitais preenchem diariamente para abastecer o sistema federal.

Assim como o registro de mortes, a atualização do estoque e uso da droga remdesivir e a ‘habilidade de compra’ de luvas, por exemplo, não são mais exigências diárias do HHS.

*Com informações do Diário do Poder.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.