INÉDITO: GOVERNO BOLSONARO INAUGURA PISCICULTURA MARINHA NO BRASIL

Embora o Brasil seja rico em recursos hídricos, o que propicia a prática da piscicultura, o país não tinha, até agora, nenhum projeto voltado para esse mercado. O secretário de aquicultura e pesca, Jorge Seif Jr., porém, vem escrevendo um novo capítulo na história do Brasil no segmento da pesca:

Ele participou do lançamento da pedra fundamental da primeira piscicultura marinha brasileira. ele disse:

Duas coisas que o presidente me pediu: 1. que o brasileiro coma mais peixe; 2. que o Brasil produza mais pescado; então, eu sou o maior entusiasta disso. Que esse empreendimento seja um sucesso, seja vitorioso, seja exitoso. o Brasil com 8.500 quilômetros de costa não produz, nesse momento, um quilo de peixe na piscicultura marinha, e isso vai mudar a partir de agora.

Jorge Seif Jr.

veja o vídeo:

trecho do discurso do secretário

A piscicultura é uma espécie de criação racional em piscinas, de peixes. No Brasil, a maior parte das atividades relacionadas, ocorriam até agora, em propriedades rurais comuns, na grande maioria, em fazendas dotadas de açudes ou represas.

Seu desenvolvimento teve por base as espécies exóticas que se reproduzem em tanques e permitem o cultivo controlado. É o caso da tilápia.
As tilápias são as espécies mais adequadas para criação em represas e açudes das propriedades rurais.

piscicultura em propriedade rural

Com o lançamento da pedra fundamental o Brasil passa a ter, na piscicultura marinha, um ramo que, segundo especialistas, é muito promissor no país devido a algumas características.

piscicultura marinha

Vantagens da Piscicultura marinha no Brasil

A criação de peixe produz mais do que qualquer outro animal;

Especialistas apontam a piscicultura como uma promissora atividade no mundo, especialmente no Brasil, em decorrência do potencial do seu mercado consumidor, do clima e dos recursos hídricos existentes.
O consumo de peixe no Brasil cresce em ritmo acelerado, além disso, temos algumas datas importantes em que o consumo de peixe é muito maior;
O Brasil importa estes produtos devido à produção nacional não ser suficiente;

Não causa grandes impactos ambientais.

A empresa que atuará no projeto e será pioneira aqui no Brasil, a FOREVER OCEANS, une, tecnologia, sustentabilidade, produção, desenvolvimento econômico e social, e já atua em outros países com a piscicultura marinha offshore, agora atuará com pescados nativos de nossa costa.

A estimativa neste primeiro momento é da criação de 100 empregos diretos e 450 indiretos. A base de operações será na cidade de Ilhéus na Bahia e produzirá 8000 toneladas/ano com as espécies, olho-de-boi (seriola spp), bijupira(Rachycentron) e dourado(Mahi Mahi).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.