‘Não podemos permitir que um grupo seja selecionado para ser perseguido’, diz Allan dos Santos

O jornalista Allan dos Santos, do canal Terça Livre, classificou a decisão de Moraes, como mais um episódio de uma “perseguição abjeta” contra vozes conservadoras e mais alinhadas ao governo do presidente Jair Bolsonaro.

O jornalismo precisa de liberdade, independente se eu concordo com ele ou não. Não pode censurar quem tem mais audiência por meio da Suprema Corte. Nós não podemos permitir que um grupo seja selecionado para ser perseguido, nós não podemos permitir que um tipo de jornalismo não possa existir, que um tipo de crítica não possa existir… Eu não quero que a minha vontade seja estabelecida dentro de uma República. Eu quero que a lei seja aplicada, só isso

Allan dos Santos

Quando o jornalista foi perguntado se pediria asilo político para algum país, o jornalista preferiu não antecipar os próximos passos, que serão definidos conjuntamente com sua defesa.

Todos os passos jurídicos que eu vou dar a partir de hoje não serão publicizados”, disse. “Quanto mais erros eles cometem, mais eu posso provar que eles estão fazendo uma perseguição pura e simples. Abjeta, inclusive. Não vou dizer a eles quais serão meus próximos passos.

Allan dos Santos

Como foi relatado aqui no Vista Pátria, a decisão de Moraes, o Ministério da Justiça deve iniciar imediatamente o processo de extradição do jornalista. O magistrado determinou ainda que a Polícia Federal (PF) inclua o mandado de prisão na lista da Difusão Vermelha da Interpol para garantir que Allan seja capturado e retorne ao Brasil. A embaixada dos Estados Unidos também foi acionada.

LEIA TAMBÉM:

Extradição do jornalista Allan dos Santos depende do Ministério da Justiça

Alexandre de Moraes manda prender e extraditar Allan dos Santos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.