Polícia Federal defende que TSE transfira a segurança das urnas para a Abin

A Polícia Federal sugeriu que a Abin seja responsável pela segurança na transmissão dos resultados extraídos das urnas eletrônicas.

O relatório foi entregue ao Senado no dia 22 de setembro, mas é datado de 3 de outubro de 2018, antes mesmo da votação para primeiro turno das eleições que elegeram o presidente Jair Bolsonaro.

Recomendação de migração de todos os módulos e rotinas administrados pela empresa Módulo para o TSE e/ou Abin. Verificamos que rotinas muito sensíveis são administradas pela referida empresa e, por mais capacitada que seja, pode perfeitamente ser repassada para o TSE e/ou Abin mediante contratos de repasse tecnológico

Diz um trecho do relatório

Essa transferência de dados atualmente é desenvolvida e mantida por uma empresa terceirizada, contrata pelo TSE.

Durante a sessão, o juiz federal auxiliar do TSE, Sandro Nunes Vieira, sustentou que, embora o órgão Tribunal use os serviços de uma empresa terceirizada, o corpo técnico do tribunal participa de toda a coordenação, inteligência, desenvolvimento, teste e aprovação do processo. Sobre a mudança na segurança, o juiz afirmou somente que “o protagonismo é do TSE”.

Vale ressaltar que, assinatura dos peritos ser de 2019, no topo das páginas do relatório a data marcada é 31 de dezembro de 2019.

4 thoughts on “Polícia Federal defende que TSE transfira a segurança das urnas para a Abin

  • 02/10/2021 em 09:27
    Permalink

    Isso só vai acabar quando implementar o voto impresso pois sem essa auditoria as suspeitas sempre estarão presente não importa pra que lado seja.

    Resposta
  • 02/10/2021 em 09:47
    Permalink

    Oi isso e mentira eu não acredito nas urnas eletrônicas, eu quero que meu voto tenha o comprovante depositado em uma urna ao lado, se for preciso de uma conferência, que democracia é essa suja escondida. Eu quero transparência para poder votar , o Barroso por ser infelizmente Ministro e para ser , o primeiro a defender a democracia.

    Resposta
  • 02/10/2021 em 23:44
    Permalink

    Creio que seria bom o exército brasileiro tomar conta das urnas. E a conferência ser pública aberta e acompanhado pelos órgãos como Polícia Federal, Abin, Exército, Sociedade Civil, Todos os Partidos, Mídia ao vivo e os candidatos. Tudo limpo. E auditoria mas urnas em tempo real. Computou os votos já vai para análise.

    Resposta
  • 03/10/2021 em 13:55
    Permalink

    Sou a favor 100% do voto auditavel ,com os políticos que tínhamos e ainda temos infelizmente ,não dá de confiar ,100% Bolsonaro

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.