Preso, rapaz assume que incendiou Borba Gato

A Polícia Civil de São Paulo prendeu duas pessoas envolvidas no incêndio da estátua do bandeirante Borba Gato na capital paulista no último sábado (24/7). Um deles, é o fundador do grupo Entregadores Antifascistas, Paulo Roberto da Silva Lima, vulgo ‘galo’ e da esposa dele, identificada como Gessica.

O advogado Airton Jacob, disse ter sido pego de surpresa pelo mandado de prisão contra a esposa de Paulo. “O telefone utilizado pelo Paulo está em nome da esposa. É só por essa razão. Ela não tem ligação nenhuma [com o ato]”.

A defesa de “Galo” informou que deve pedir a conversão da prisão temporária da mulher em domiciliar, por causa da criança.

“Para aqueles que dizem que a gente precisa ir por meios democráticos, o objetivo do ato foi abrir o debate. Agora, as pessoas decidem se elas querem uma estátua de 13 metros de altura de um genocida e abusador de mulheres”, disse Galo.

O caso aconteceu no dia 24 deste mês. Em nota à imprensa divulgada nas redes sociais, Paulo afirma que o mandado foi expedido momentos após ele se apresentar voluntariamente no 11º Distrito Policial de Santo Amaro para prestar esclarecimentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.