Zé Trovão decidiu que não se entregará à polícia até o dia 7 de setembro

O caminhoneiro Marco Antonio Pereira Gomes, o Zé Trovão, após ter a prisão decretada pelo ministro do STF, Alexandre de Moraes, decidiu que não se entregará à polícia até o dia 7 de setembro.

O advogado de Zé Trovão deu uma declaração para à revista Veja, confira:

Tentaram silenciar 10 líderes, mas se esqueceram que existem 10 mil líderes que vão às ruas no feriado da independência. A decretação da prisão vai insuflar ainda mais os manifestantes.

Levi de Andrade advogado do Zé Trovão

Zé Trovão é investigado no inquérito que apura a organização de supostos atos antidemocráticos. Ele está em local desconhecido e as autoridades continuam fazendo buscas.

Moraes determinou a prisão do líder de caminhoneiros alegando que Zé Trovão descumpriu medidas cautelares impostas pelo ministro. Ele estava proibido de se manifestar em redes sociais, mas, mesmo assim, continuou a fazer convocações para as manifestações para o dia 7 de setembro em grupos de aplicativos de trocas de mensagens.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.