PGR pede para aprofundar investigação que apura se Renan Calheiros recebeu propina

A Procuradoria-Geral da República, na tarde de hoje (18/10), pediu ao STF para aprofundar as investigações do inquérito que apura se o senador Renan Calheiros recebeu R$ 1 milhão em propina da construtora Odebrecht em 2012.

Em julho, a PF concluiu inquérito aberto em 2017 e disse ao STF ter indícios de que Renan recebeu R$ 1 milhão em propina da Odebrecht em 2012. A PGR e a defesa de Calheiros se manifestam no STF contra o indiciamento.

A investigação da Polícia Federal apontou que a suposta vantagem indevida teria sido paga em 2012, em troca da aprovação de uma resolução no Senado que tratou de benefícios concedidos pelos estados a produtos importados, discussão conhecida como “Guerra dos Portos”.

Então na tarde de hoje a PGR pediu que o STF envie ofício para que o Senado detalhe a aprovação da resolução e informe, especificamente, a atuação de Renan no caso, como eventuais emendas feitas ao texto.

A PGR também solicitou algumas informações sobre o lobista Milton Lyra, apontado como suposto operador de Renan no caso. A PGR também pediu que empresas áreas repassem dados sobre os deslocamentos de Lyra entre maio e junho de 2012.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.