“SE EU INFARTAR HOJE, VAI VOTAR EM QUEM?”

Enquanto não tiver alguém melhor do que eu, não dá pancada em mim!

Essas foram algumas das palavras do presidente Jair Bolsonaro nessa manhã, (09/11), no cercadinho onde costuma todas as manhãs ouvir e falar a apoiadores. Um sem número de vezes o presidente já disse que as críticas são bem vindas. Desde que fundadas, ele às recebe de bom grado.

As demandas do povo brasileiro são enormes e o desamparo por parte dos governos anteriores, explodem em demandas no colo de um único mandato que tem tentado atender aos anseios desse povo. A resistência, porém, vem de todos os lados, são interesses particulares e de grupos, partidários e de corporações, nacionais e internacionais, uns até certo ponto justificáveis, mas todos com poder de fazer frente ao presidente da república. nesse contexto, o que muitos querem, é ver a corda arrebentar, ver o “pau quebrar”, na gíria popular, numa espécie de revolução de direita.

Romper com a ordem institucional, ainda que cambaleante, é uma vontade que brota das constantes injustiças que, cada vez mais o povo brasileiro vem enxergando, é vítima. Cada vez que um decreto presidencial, indiscutivelmente favorável ao povo, é derrubado, a cada vez que um partido com pouca representatividade, entra com uma ação no STF para barrar uma medida que traz benefício ao povo, é atendido, apesar de inconstitucionalidade alguma ser encontrada nas análises feitas por juristas renomados, a cada vez que corruptos se levantam com tramoias para derrubar um presidente honesto na base de narrativas falaciosas, a cada vez que uma medida provisória de interesse público caduca… desperta no povo uma justa indignação, um sentimento de querer virar a mesa, de resolver na força, de estancar de uma só vez inúmeros pontos de sangramento da nação.

Entre a resistência que interesses alheios ao povo brasileiro oferece, e a indignação desse povo que, desconhecendo as entranhas do poder e as articulações que são feitas às sombras, nos bastidores, tende a querer resolver inconsequentemente, está o presidente da república, tentando equilibrar as coisas. Isso muitas vezes gera confusão, e parte dos indignados não hesitam em insinuar que o presidente se vendeu ou que titubeia. A verdade é que a vontade do povo de resolver rapidamente, numa virada de mesa, os problemas, encontra no presidente a responsabilidade de quem sabe que um problema ainda maior pode surgir de uma atitude desastrada.

PLENA6- BSB DF – PLENARIO/CÂMARA – 13/07/2006 – NACIONAL – Deputado, Jair Bolsonaro no plenario da câmara com apenas três parlamentares durante sessão. FOTO: DIDA SAMPAIO/AE

O presidente sabe que mudar o Brasil não é assunto para um mandato, nem mesmo dois, é um assunto de médio e longo prazo, de trabalho ininterrupto, de mobilização constante, trabalhando as estruturas que permitirão a mudança segura desse estado de anomalia, para um Brasil mais dos brasileiros. É a esse trabalho que o presidente vem se dedicando.

A pergunta do presidente é, então, mais séria do que alguns de nós possamos imaginar, e merece a ponderação diligente, olhando no retrovisor, num passado um tanto distante, para o então vereador, depois deputado, Jair Bolsonaro; em que pese considerar a evolução das ideias do homem, ele sempre defendeu os mesmos caros valores que a grande maioria do povo brasileiro herdou, sintetizados em suas três, tão mencionadas palavras: Deus, pátria, família. Além disso, é preciso olhar num passado próximo o que ele passou para hoje ocupar o cargo de chefe da nação, e por fim, o que passa para se manter lá.

O presidente Bolsonaro não é apenas uma boa opção para 2022, é a única! Sem menosprezar os vários bons e inteligentes homens que temos, nem com toda boa vontade do mundo, sou capaz de me fazer encontrar em qualquer deles, a força moral, a envergadura de conhecimento dos meandros políticos e a resiliência, em conjunto, além da figura simbólica que o homem, Jair Messias Bolsonaro, reúne. Por fim, num contexto de fé, Jair Bolsonaro é o escolhido de Deus para além de ser o do povo.

2 thoughts on ““SE EU INFARTAR HOJE, VAI VOTAR EM QUEM?”

  • 10/11/2021 em 11:21
    Permalink

    O nosso presidente é fantástico, nele depositarmos toda esperança de dias melhores, lutaremos a seu lado, sufocaremos as estéricas ameaças daqueles que permeiam o mal da sociedade. Seremos os guardiões da nossa pátria onde depositaremos a fé e a grande vitória do nosso presidente.

    Resposta
  • 10/11/2021 em 11:54
    Permalink

    Sem Bolsonaro? será a intervenção das forças armadas pela garantia da ordem com certeza,o poder emana do povo.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *