TSE investiga se pessoas mortas receberam dinheiro do fundo partidário do PT

O TSE realizou uma análise relacionada à prestação de contas do PT de 2019 mostra que o partido gastou R$ 1,1 milhão do fundo partidário com empresas ou pessoas físicas que estavam com CPFs e CNPJs cancelados ou inativos.

A análise mostrou que esse valor de, R$ 302 mil foram repassados a uma pessoa que teve seu CPF cancelado após a morte. O pagamento, a Maria Diva de Faria, ocorreu em 6 de dezembro daquele ano.

Vale ressaltar que, foram contratos serviços de quatro empresas cujos CNPJs estavam inativos e não existiam antes da contratação dos serviços: Gabriel Monteiro Produções Artísticas Ltda, no valor de R$ 76 mil; Blue Cards Refeições, R$ 5,6 mil; CEP Com Política LTDA, R$ 200 mil; e Toni Cotrim Comunicação Ltda, R$ 222,8 mil.

O PT respondeu o TSE alegando que houve um erro da Receita Federal e acrescentou que os serviços foram executados. O partido anexou em sua análise de contas o manual anticorrupção instituído pelo partido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.