Vereadores de Niterói rejeitam cotas para pessoas trans em concursos públicos

Vereadores da Câmara Municipal de Niterói rejeitaram ontem (18/11) o Projeto de Lei 29/2021, de autoria do vereador Benny Briolly do PSOL, que previa 2% de cotas para travestis em concursos públicos da Prefeitura.

Dos 21 vereadores, 20 votaram, sendo 13 contrários a lei e 7 favoráveis ao projeto. A proposta também é de co-autoria dos vereadores Professor Túlio, Paulo Eduardo Gomes (ambos PSOL), Verônica Lima (PT), Walkiria Nictheroy (PCdoB) e Binho Guimarães (PDT).

Durante a votação, houve tumulto e troca de ofensas no o plenário da Câmara.

Enquanto Benny Briolly argumentava que o Brasil é o país que mais mata transexuais no mundo, um grito vindo das galerias acusava a parlamentar de mentir sobre os dados. Logo depois, Douglas Gomes endossou a acusação de que os dados eram enganosos.

O vereador Douglas Gomes, argumentou sobre esses dados no qual ele afirmou ser falsos. Douglas sofreu algumas ofensas no momento de sua manifestação e prontamente ele ameaçou dar voz de prisão a um apoiador de Benny que o chamou diretamente de “facista de m****”.

Eu fui chamado de fascista de m****? Repete isso que eu te dou vou te dar voz de prisão agora. Isso é injúria, artigo 140 do Código Penal. Vai abrir precedente para ofenderem os vereadores da Casa, presidente […] Eu quero encontrar com esse cidadão. Estou te dando voz de prisão, vou te levar para a 76ª (Delegacia Policial, no Centro) e solicito o apoio da Casa para que isso aconteça.

Douglas Gomes

Em sua rede social o vereador postou um vídeo no momento da votação na Câmara de municipal de Niterói, Confira:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.