Canais de conteúdo político na internet podem ter receitas zeradas pelo TSE.

O TSE está planejando publicar uma resolução que obrigará as plataformas de redes sociais a proibir a geração de capital financeiro por páginas e canais com conteúdo considerado “político” durante as eleições de 2022.

Membros da Corte devem receber representantes de Facebook, YouTube, Twitter, Instagram e Twitch para uma reunião amanhã (18/8), e o tema deverá ser abordado. O TSE analisando publicar as novas regras nos próximos meses.

O TSE vem se preparando para ampliar os efeitos da decisão do corregedor-geral da Corte, Luís Felipe Salomão, que determinou a suspensão da “monetização”.

Vale ressaltar, que no despacho realizado na última segunda-feira (16/8), Felipe Salomão determinou que os recursos que vierem a ser obtidos pelos investigados fiquem depositados em uma conta vinculada ao TSE.

Luis Felipe Salomão

Magistrado
Luis Felipe Salomão
Magistrado

Quanto mais se atacam as instituições e o sistema eleitoral, mais proveito econômico os envolvidos obtêm. Como já observado, isso ocorre pelo processo de monetização empreendido por esses usuários, a partir do número de visualizações das páginas, do recebimento de doações, do pagamento de publicidade, da inscrição de apoiadores e da realização de lives

Felipe Salomão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.