Por pagamento extra, mais de mil auditores da Receita pedem exoneração

O Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil (Sindifisco), na quarta-feira (12/01), informou que mais de 1.288 auditores pediram para entregar o cargo de chefia e as primeiras exonerações começam a ser formalizadas.

Parece que o salário de R$ 21 mil a R$ 27,3 mil é pouco para os auditores que querem uma bonificação por fazer o seu trabalho de R$ 3 mil reais. É o chamado “bônus de produtividade”.

Como noticiado pela Revista Oeste, o bônus foi criado em 2016 através de medida provisória e convertido em lei em 2017, mas sem regulamentação. Assim, todos os auditores e analistas tributários recebem o benefício. Estima-se que se for regulamentado o pagamento, haverá um gasto extra de R$ 430 milhões.

“Não é carta de intenção. É pedido de exoneração efetivo. Isso significa que o órgão de arrecadação do país puxou o freio de mão. Vamos esperar uma solução, mas enquanto isso há um caos administrativo”, disse Kleber Cabral, presidente do Sindifisco.

É no mínimo um acinte ter que pagar uma bonificação para quem já recebe um alto salário para fazer o seu trabalho com excelência.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.